top of page

A Árvore da Vida

Atualizado: 20 de set. de 2020

Por Tiago Marques


Então o Senhor Deus disse o seguinte: “Agora o homem se tornou como um de nós, pois conhece o bem e o mal. Ele não deve comer a fruta da árvore da vida e viver para sempre." - Gênesis 3:22 (NTLH)

Por anos, eu não quis montar nossa árvore de natal. Não por qualquer preconceito religioso ou coisa assim, mas para mim, era algo que não fazia sentido. Tudo americanizado demais e não entendia a ligação do pinheiro (em pleno cerrado) com as luzes e bolas de enfeite. Mas, esse ano, quando meu filho mais novo quis e insistiu em ter uma árvore de natal, me vi obrigado a repensar tudo isso. Compramos uma e gastamos um tempo juntos, enfeitando-a. Foi um tempo prazeroso em família. Mas eu continuava buscando um significado maior para tudo aquilo.

É fato: a árvore de natal não aparece na Bíblia. Mas existe outra árvore que sempre me encantou demais. Uma árvore que está presente no primeiro e também no último livro das Escrituras Sagradas: a Árvore da Vida.

No livro que relata a origem do mundo e do homem, menciona duas árvores interessantes. A Árvore do Conhecimento (do bem e do mal) e a Árvore da Vida. Porquanto o homem não desejou ser igual a Deus, ele se alimentou bem de todos os diversos frutos que existiam no jardim e, principalmente, do fruto que lhe permitia viver para sempre. Mas no momento em que desobedece ao seu Criador, ele também escolhe abrir mão da imortalidade. O homem começa a envelhecer, adoecer, morrer. A dor, agora, faz parte do seu dia a dia. O suor escorre do seu rosto, enquanto ele busca, com todas as forças, se alimentar e sobreviver por mais um dia. Mas o Criador disse que não seria sempre assim. No final do seu livro, no último capítulo está o retorno da árvore da vida.

Hoje, montei nossa Árvore de Natal com um novo sentido - um memorial à árvore que ainda reencontrarei. Ela me permitirá viver para sempre ao lado do meu Criador. A estrela em seu topo me lembra o dia em que a Esperança nasceu: Jesus Cristo. As luzes me lembram que ele me guia na escuridão. Os enfeites? os frutos que saciarão a minha fome e me permitirão viver para sempre. E o pinheiro sempre verde, mesmo no inverno, assemelha-se à Árvore da Vida que não me esquecerei jamais.

Em cada lado do rio está a árvore da vida, que dá doze frutas por ano, isto é, uma por mês. E as suas folhas servem para curar as nações. - Apocalipse 22:2 (NTLH)

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page