top of page

Acolhendo em sua plenitude os filhos de terceira cultura.

Por Valeska Petrelli Sobre filhos de missionários em contexto transcultural

Os filhos de missionários e trabalhadores, que deixam o seu país para viver em contexto transcultural, são classificados como filhos de terceira cultura (FTCs). Eles são indivíduos que vivem ou viveram parte significativa de suas vidas, ou seja, vários anos de sua infância e/ou adolescência, imersos em uma cultura diferente da de seus pais. Eles se movem entre culturas nos anos mais importantes para a formação da sua identidade cultural.

Bom, dito isto, quero refletir com você, começando com o relato de um fato da manhã de hoje.

Pela manhã, enquanto eu trabalhava em casa, ouvia a reunião on-line da escola do meu filho, Asafe. Já no começo, no primeiro exercício, a professora explica (em inglês) que cada aluno deverá falar “bom dia” aos seus colegas em algumas das línguas que conheça.

Asafe se prontifica e diz: bom dia (logicamente em português), manahoana (malgaxe) e bonjour (francês). E unindo por volta de 10 alunos da quinta série, rapidamente se somaram mais de 30 maneiras de se falar “bom dia”, incluindo a professora, que também explicava as diferentes línguas de seus pais.

Fiquei pensando nos pequenos detalhes de nosso dia a dia, e de como os nossos filhos estão bem longe de um contexto e formato monocultural. São tantos os detalhes que, se não formos intencionais, não seremos capazes de perceber as tantas diferenças culturais, principalmente porque nossas crianças veem tudo isso como básico e “normal” para eles.

Apesar de minha vivência entre outras culturas por mais de 10 anos, tenho consciência de que minha infância e adolescência foram vividas unicamente no Brasil. E por isso, entendo o quanto preciso infinitamente da graça de Deus para me ajudar a compreender e apoiar as necessidades e desafios de meus filhos. E se isto já é uma verdade presente na realidade de vida de todos os pais para uma educação saudável de seus filhos, quanto mais aqueles que estão em contexto multicultural.

Como pais (Rodrigo e eu), ambos vindos de um contexto monocultural, temos a tendência de ter um olhar extremamente positivista diante das diversidades e adversidades do mundo entre culturas. Focamos nos privilégios e nas oportunidades do acesso às diferentes línguas e culturas, mas isso pode ser perigoso quando excessivo.

Na fase de formação de nossos filhos, eles precisam sentir-se seguros e pertencentes. O positivismo exagerado ou a negação das perdas acrescentam ao imenso desafio já existente em meio à diversidade de mudanças e culturas que vivemos.

Se não compreendermos e valorizarmos os desafios e, intencionalmente, ajudarmos nossos filhos a processar tudo isso, as consequências emocionais podem ser difíceis e traumáticas. Ainda mais em contexto missionário, onde pode-se acrescentar a culpa e a necessidade/exigência de que os filhos sempre se apresentem bons e gratos, pois estão ali para fazer a vontade de Deus.

Viver em ambiente multicultural tem seus privilégios e também seus desafios. Reconheço e agradeço a Deus por esta vivência na vida de nossos filhos, sabendo que muitos resultados lindos e muitos frutos maravilhosos hão de vir, especialmente quando intencionalmente buscamos a conexão com a ALMA GLOBAL de nossos filhos!

Contudo, quero aqui reforçar, primeiramente para mim mesma, de que isso só será possível se criarmos e proporcionarmos um ambiente onde nossos filhos sejam convidados a expressar livremente suas angústias, medos, raivas e frustrações resultantes da vida entre culturas.

Afinal, como filhos monoculturais e pais transculturais que somos, precisamos estudar, investir tempo e fazer nossa parte, contando com a maravilhosa graça do PAI para nos ajudar a mergulhar cada vez mais fundo, nos capacitando a conectar às ALMAS GLOBAIS de nossos filhos.

 

Valeska Petrelli é terapeuta cristã Volare. É casada com Rodrigo e mãe de dois lindos meninos. É missionária no continente africano desde 2010. Possui um canal no YouTube contando um pouco da sua experiência. Canal da Valeska


395 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page